ETERNAS SAUDADES DO FUTURO

A quem anda distraído, repito: no que diz respeito a novas publicações deste vosso amigo bloguista, a partir de agora a emissão segue apenas e só no Eternas Saudades do Futuro, como dantes. Apareçam e façam o favor de voltar a pôr o link nos vossos blogues.

POST-SCRIPTUM: AVISO À NAVEGAÇÃO

Atendendo ao facto do contador desta minha saudosa casa indicar que, mesmo após a suspensão das publicações, continuam a passar por aqui milhares de visitantes, aproveito para divulgar o meu, recentemente reactivado, eterno blogue pessoal:
Eternas Saudades do Futuro.

AVISO AOS LEITORES

Recebi uma proposta editorial no sentido de publicar em livro os aforismos aqui compilados. Assim sendo, o blogue encontrar-se-á suspenso até à vinda a lume do referido volume. Será dada nota neste local do respectivo lançamento. Deixo aqui um enorme e sentido bem-haja a todos os amigos empenhados bem como a todos os leitores interessados.  

PROJECTO SOCIAL

Um dia hei-de sentar à mesma mesa, em enorme távola redonda, todos os meus verdadeiros amigos. Tenho-os de direita e de esquerda, bonitos e feios, ricos e pobres, eruditos e simples, conversadores e calados, antigos e novos, velhos e jovens; mas, todos — todos mesmo — aristocratas do espírito.

QUARENTA ANOS DEPOIS VERIFICOU-SE O ÓBVIO

Portugal sem Império não consegue ser Independente.

QUARENTENA

Nesta época dos cravícolas cheira sempre a cavernícolas.

ELES "ANDEM" AÍ

Pior ainda do que a recém-passada imigração de arraia-miúda é a presente imigração vista e apregoada como «dourada». Um luxo que é um lixo.

ESPÍRITO VERSUS MATÉRIA

Os blogues estão para o facebook como a literatura está para a televisão.

LEMA DE VIDA

Um dia em que não se aprende nada é um dia perdido.

UMA QUESTÃO DE CLASSE

Há mulheres arrogantes. Mas só as senhoras são altivas. E a distância que vai entre umas e outras é todo um mundo.

DO PENSAMENTO

Sou um pensador demasiado livre para poder ser um livre-pensador.

DA ESCRITA

Escrever o que se pensa não é um prazer, é um dever.

DA MORTE E RESSURREIÇÃO DE PORTUGAL

Portugal morreu. Desde o início do século XV os nossos Reis souberam ver que Portugal não sobreviveria confinado apenas a um rectângulo no extremo mais ocidental da Europa. Decidiram portanto sabiamente descobrir e conquistar novos territórios ultramarinos. Ao longo dos séculos os grandes estadistas nacionais cientes desta necessidade geopolítica mantiveram e aprofundaram a nossa presença em todos os continentes com visíveis vantagens económicas e sociais para Portugal. Depois subitamente veio um bando de traidores à Pátria que entregou as províncias ultramarinas de bandeja e de mão-beijada para seu proveito pessoal. Desde lá o País definha de dia para dia. Contudo acredito que chegará ainda a hora de uma Ressurreição Nacional. Assim Deus nos dê depressa um Chefe. 

DA FORMA E DO CONTEÚDO

Seja qual for o tom em que são ditas, certas coisas nunca serão de bom tom.

DOS GENES

Boa gente há muita, gente boa há pouca.

DO HUMOR

O bom humor é uma brincadeira, o humor bom é uma coisa séria.

DA LUMINOSIDADE

Há que procurar a luz que ilumina e evitar a luz que queima. Uma errada abertura do diafragma pode transformar a primeira na segunda. Fotograficamente falando. E metaforicamente também.

AINDA SOBRE O RETORNO À RAZÃO NA NAÇÃO

Após o fim do segundo maior Interregno da nossa História (que se adivinha para breve), a hereditariedade deverá voltar a assegurar a Chefia de Estado tão naturalmente como o faz em relação à continuidade das Famílias.

DO RETORNO À RAZÃO

Após o fim do segundo maior Interregno da nossa História (que se adivinha para breve), a Nação voltará a ser orgânica e naturalmente hierarquizada.

DA BURRICE

Pior ainda do que um burro armado em esperto é um burro albardado em especialista.

DA IGNORÂNCIA

O pior ignorante pode até não ser o que sabe pouco mas é certamente o que está convencido de que sabe muito.

MUNDO CÃO

Hoje em dia existem umas criaturas tão amigas dos animais que acabam a tratá-los melhor do que às próprias pessoas. Provavelmente fazem isso porque se identificam intelectualmente com esses seres irracionais. 

MODERNIDADE E TRADIÇÃO

A modernidade é aquela parte da moda que permanece depois de ter passado pelo sábio crivo da tradição.

DO CHEIRO DOS LIVROS

Os aromas dos livros antigos transportam-nos no tempo e no espaço. Fragrâncias de tabacos, lareiras, madeiras, flores... Assim se vão recordando, ou imaginando, pessoas e lugares.

DAS AFINIDADES ESTÉTICAS

As mais belas recordações serão sempre as de momentos vividos com pessoas que connosco têm afinidades estéticas em comum.

DO ETERNO RETORNO

Há exactamente 100 anos começou a I Guerra Mundial. O mundo em que agora vivemos  — que caminha a passos largos para se tornar totalmente um «admirável mundo novo»  — é uma consequência directa do resultado dessa guerra. Tudo o que entretanto se passou, de lá para cá, foi apenas a concretização do que ficou definido nesse pós-guerra. Por tudo isto, vale muito a pena aproveitar a efeméride para estudar, com olhos de pensar, a Grande Guerra; e, muito especialmente, as suas origens. Até porque dizem que existem ciclos históricos de 100 anos...

DEUS ESCREVE DIREITO POR LINHAS TORTAS

Portugal está em vias de voltar a ter a quantidade de população da Idade Média. Porém, há males que vêm por bem. Revelem-se os portugueses de agora da mesma qualidade dos dessa época e poremos rapidamente fim a estas longas décadas de Interregno. Até porque... falta cumprir-se Portugal! É a Hora?

PARADOXO PÓS EQUINÓCIO

Hora de Verão, ar de Inverno.

ADMIRÁVEL MUNDIALISMO MODERNO

O plano de empobrecimento e despovoamento está quase concluído. Portugal já pode depois ser transformado em estância turística e os poucos portugueses que restam em criados de café.

FALTA DE CLASSE

A luta de classes não tem classe.

INVOLUÇÃO SOCIAL

Os senhores desapareceram, os burgueses transformaram-se em novos proletários e os velhos proletários ficaram desempregados. 

ACTUALIZAÇÃO ETIMOLÓGICA PRECISA-SE

Os proletários já não têm prole e os burgueses já não habitam no burgo.

DAS IDEIAS

A melhor maneira de divulgar um pensamento é através do exemplo. De vida. Só assim essa ideia se tornará imortal.

DA FAMÍLIA

As afinidades electivas (afectivas, culturais, espirituais, estéticas, etc.) são muito fortes. Em vida. Mas as de sangue também; e, permanecem, mesmo para além da morte.

DA MÚSICA

A música acompanha-nos ao longo das várias idades: desperta emoções na juventude e provoca recordações na maturidade. Por isso é geradora das mais fortes afinidades.

DA VIDA DOS POVOS

As ideologias aparecem e desaparecem, as nações adormecem mas despertam sempre.

DO SER

Em vez de seguir a moda, melhor é cada um seguir o seu modo.

DESENHAR COM LUZ E CONTRASTE

Tirar fotografias é arrancar a alma — dos sujeitos e dos objectos — e pô-la na imagem; fazer fotografias é construir uma alternativa — de ambientes e mundos — e pô-la na imagem.

DA SOBREVIVÊNCIA E COEXISTÊNCIA DAS DIVERSAS ARTES

Dizem que os discos têm os dias contados, porque as novas gerações saltam de música em música na rede. Lembremo-nos de quando se afirmava que a televisão acabaria com o cinema e também da canção em que o vídeo matava a rádio. Para já não falar dos profetas que anunciaram o fim da pintura devido ao aparecimento da fotografia. Afinal, todas estas notícias eram manifestamente exageradas. 

OUVIR COM OUVIDOS DE ESCUTAR

É necessário ouvir os álbuns do princípio ao fim, como quem lê um livro ou vê um filme, porque os discos são atravessados por um invisível fio-condutor que lhes dá o sentido pretendido pelo autor e que só será totalmente revelado no final da audição integral da obra.

ASSIM VAI O MUNDO EM QUE VIVEMOS

Ter boa-educação e bom-gosto só traz desilusão e desgosto.

DA DESAPARECIDA ALMA DAS IMAGENS

Nestes tempos digitais, é necessário, mais do que nunca, parar e pensar antes de captar e difundir imagens. Só assim, sendo de novo intencionais e raras, as imagens voltarão a ter alma.

DA ESCRITA CRIATIVA COMO CATARSE

Um aforismo por dia alivia.

AFINIDADES ELECTIVAS

As afinidades afectivas são das mais efectivas.

CONVERGÊNCIA MUSICAL ESTÉTICA

Guitarra poética e letra eléctrica.

DA FOTOGRAFIA E DA ALMA

A fotografia é alquímica porque tem a magia de fazer a alma surgir à flor da pele.

HOJE COMO NUNCA

Os mais ricos são os menos finos.

O GRANDE MAL NACIONAL

Discutem-se pessoas, não se debatem ideias.

MAL NACIONAL

Perna curta e vistas curtas.

PASSAGEIRO VERSUS PERMANENTE

Desconfiemos das notícias do dia, confiemos nos santos de cada dia: umas, passam; outros, são eternos.

DO LUGAR PRIMORDIAL DA CULTURA

Em casa onde não há cultura, todos botam faladura e ninguém acerta uma.

POESIA E PROFECIA

Todos os grandes poetas são também profetas. Lê-los, de coração aberto, permite-nos dissipar o nevoeiro e lançar luz sobre o futuro.

DA SELECÇÃO NATURAL E CONTINUAÇÃO DA ESPÉCIE

Todas as famílias grandes são grandes famílias.

DOS TRISTES

Os perdedores, que raramente conseguem vencer e ainda por cima têm mau perder, vivem à espreita das raras derrotas dos vencedores.

DO PARADOXO

Os pequenos detalhes geram as grandes decisões.

DO FAZER A TEMPO E HORAS

Mais vale feito hoje do que perfeito amanhã.

DA LÍNGUA PORTUGUESA

Durante muitos e bons séculos, a Língua Portuguesa cresceu bem e evoluiu ainda melhor, de forma natural e orgânica. Depois, veio a República e tentou «reformá-la», logo em 1911. De lá para cá, tem sido um desvario: 1945, 1973, 1975, 1986, 1990; enfim, a famosa pulsão igualitária e unificadora da Revolução, que quer fazer à força tábua-rasa da Tradição. 

DE LISBOA

Lisboa é uma cidade de síntese universal. Tem em si todos os pequenos nadas que significam tudo. Haja olhos para ver e ouvidos para escutar os seus sinais. 

QUANDO O SISTEMA TENTA APAGAR A HISTÓRIA

Um dos actos políticos de maior desonestidade intelectual consiste em mexer na toponímia — alterando nomes de avenidas, ruas, praças, parques e obras de arte — ao sabor das mudanças de regime.

AINDA E SEMPRE A LIÇÃO DOS ANTEPASSADOS

A nação tem uma língua-mãe.

AINDA A LIÇÃO DOS ANTEPASSADOS

Pátria é terra e nação é povo.

DA LIÇÃO DOS ANTEPASSADOS

A pátria ressuscitará quando os vivos honrarem os mortos com fidelidade ao seu exemplo.

DO SINISTRO MUNDIALISMO

A mão invisível que escreve este guião globalista só pode ser a de um génio. Os povos adormecem, as nações desaparecem, os figurantes obedecem. Nunca a república universal esteve tão perto de se concretizar. E ai de quem discordar da discreta ditadura do pensamento único politicamente correcto.

DA TRADIÇÃO

Ignorar a tradição é como desconhecer pai e mãe, não conhecer os cantos à casa e perder o fio à meada. 

EM BUSCA DA VERDADE HISTÓRICA

Em todas as épocas, a História que vigora é contada pelos vencedores. Essencial pois é confrontá-la com a versão dos vencidos.

SOBERANIA E LIBERDADE

Portugal voltará a ser soberano e os portugueses livres quando abandonarmos a união europeia e sairmos da moeda única.

POSOLOGIA — II

Um passeio por dia dá saúde e alegria.

POSOLOGIA — I

Um livro por dia dá saúde e energia.

DA FAMÍLIA

Ao princípio era a lareira. Depois, a lareira foi substituída pela televisão, sem nenhuma vantagem cultural, como elemento agregador das famílias e das comunidades. Finalmente, a Internet, de utilização individual e individualista, veio fragmentá-las.

DA PERMANÊNCIA DOS VALORES

Não trocamos a Cruz pelo cifrão.

PATRIOTAS DE TODO O MUNDO — UNAMO-NOS!

Todos os Povos têm direito à sua Terra e devem poder organizar-se nela sob a forma de Estado-Nação. E é obrigação de todos os patriotas auxiliarem-se uns aos outros nas suas variadas e legítimas lutas. Portugal, na sua qualidade de Estado com a mais antiga fronteira definida e mantida no Mundo, constiui-se nesta matéria como referência inspiradora.

DO MUNDO

Os agiotas, especuladores e usurários, de várias sinistras firmas internacionais, estão a transformar as nossas vidas num inferno. Fazem-nos agora, neste início de século, o mesmo que já nos tinham feito no princípio do século passado, com os tristes resultados económico-sociais conhecidos. Não será chegada a hora dos povos das pátrias serem firmes — dizerem basta! —  e verem-se livres desses indivíduos apátridas?

DA NAÇÃO

Ao fim de novecentos anos de História, aconteceu pela primeira vez a fatal convergência de três factores: Portugal está sem moeda, sem ultramar e sem soberania. Se a Pátria sobreviver a isto, é porque ainda há heróis.

DA DEGENERAÇÃO DO SANGUE

Se os portugueses de hoje fossem feitos da mesma fibra dos que outrora foram à Índia e ao Brasil estariam agora a partir à descoberta e à conquista da Lua e de Marte. O paralelo, metafórico, é este. O paradigma, infelizmente, é outro.

DA PONDERAÇÃO

Tão importante como dizer-se o que se pensa é pensar-se o que se diz.

DA IMAGEM E DA PALAVRA

Uma imagem vale mais do que mil palavras e uma palavra sugere infinitas imagens. Portanto, consoante a mensagem que queremos comunicar, devemos optar conscientemente por uma, ou por outra, destas formas de expressão.

REVELAÇÃO E REVOLUÇÃO

Imagem que é imagem tem uma estética e tem uma ética.

MOMENTOS FUNDAMENTAIS E SEUS RESPECTIVOS MONUMENTOS SIMBÓLICOS

Fundação, Consolidação e Expansão de Portugal: Alcobaça, Batalha e Jerónimos.

NA VIDA COMO NA NATUREZA

O Outono é uma segunda Primavera. É como a vida depois dos 40.

DICAS PARA UMA REVOLUCÃO NACIONAL

Basta de mal-educados bem-comportados.
Precisamos de bem-educados mal-comportados.

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E COMUNICAÇÃO POLÍTICA

Quem controla a forma, controla o presente. Quem controla o conteúdo, controla o futuro.

DA ARTE DE VIAJAR

Ter mundo não se consegue viajando muito. Ter mundo advém de viajar bem.

MUNDO PERFEITO

Sem carros, telefonias, televisões e computadores. Com jardins, bibliotecas, banquetes e mulheres.

DA RENOVAÇÃO DAS ELITES EM PORTUGAL — II

Os bem-educados deixaram de ter bom-gosto e os que têm bom-gosto ainda não têm boa-educação.

DA RENOVAÇÃO DAS ELITES EM PORTUGAL — I

Os civilizados deixaram de ser cultos e os cultos ainda não são civilizados.

GLÓRIA OU MORTE NA WEB

A má utilização da web pode ser a morte do artista e a boa utilização da web pode ser a sorte do artista.

HÁ LETRAS E LETRAS

Os jornais mostram o efémero e os livros guardam o eterno.

DA ALQUIMIA NA FOTOGRAFIA

A imagem fotográfica revela a alma da pessoa retratada ou da personagem construída.

FOTOGRAFAR

Desenhar com a luz é escrever poesia visual.

A LIÇÃO DA TERRA E DOS MORTOS

É com a terra e com os mortos que mais temos a aprender nesta vida terrena.

COISAS INDISSOCIÁVEIS — IV

Boa-educação, bom-gosto e bom-humor.

COISAS INDISSOCIÁVEIS — III

Beleza, Bem e Verdade.

COISAS INDISSOCIÁVEIS — II

Fé, Esperança e Caridade.

COISAS INDISSOCIÁVEIS — I

Deus, Pátria e Rei.

DA CULTURA COMO METAPOLÍTICA

Através da cultura influencia-se a política. Com a vantagem de se dispensar assim a maçada da conquista e conservação do poder. Saiba-se pois transmitir pelas artes e letras os valores que se querem ver aplicados na coisa pública.

DA POLÍTICA

As fórmulas políticas são irrepetíveis na sua aplicação prática. Há portanto que renová-las, adaptando-as ao tempo presente. Quem souber fazê-lo, mantendo os valores fundamentais, vencerá.

PARECE PARADOXAL MAS NÃO É

Um aforismo para ser aforismo tem de ser intemporal e impessoal. Porém, deve ter uma marca autoral.

GÉNEROS ARTÍSTICOS E IDENTIDADES NACIONAIS

Portugal tem o Fado, os Estados Unidos da América têm o Western.

DA VISÃO

Não basta olhar — é preciso ver. E para tal é necessário lavar os olhos entre os vários olhares.

DA POESIA

Sem poesia não há arte nem sabedoria.

CINEASTAS DE SALVAÇÃO

De lá para cá; ou seja, de Oriente para Ocidente:
Ozu, Tarkovsky, Dreyer, Bresson, Oliveira.

PODE A RELIGIÃO SER CONTRÁRIA À RAZÃO?

Não, porque a religião é precisamente a síntese entre razão e fé, religando-as.

DICIONÁRIO DE ANTROPOLOGIA CONTEMPORÂNEA

Um possidónio é um parolo armado em fino.

IDENTIDADE CULTURAL

Um Povo é a música que compõe e ouve, a gastronomia que confecciona e saboreia, a literatura que cria e lê, a pintura que faz e aprecia, a arquitectura que edifica e admira, os espectáculos que concebe e a que assiste.

FUTURO

A Usura vai ser derrotada pela Cultura.

POLÍTICAS PRÁTICAS DOS TEMPOS MODERNOS III

Temos de lhes aplicar o mesmo princípio: pôr-lhes um fim.

POLÍTICAS PRÁTICAS DOS TEMPOS MODERNOS II

Cortam-se os abonos de família, subsidiam-se os abortos.

POLÍTICAS PRÁTICAS DOS TEMPOS MODERNOS I

Cortam-se árvores doentes e aplica-se a eutanásia.

DA AMIZADE

Mais do que a partilha de recordações únicas, o que distingue os melhores amigos é a partilha de um sentido de humor inacessível aos demais.

INVOLUÇÃO

De «Deus, Pátria e Rei» descemos para «Adeus, Pátria e Rei».

TRIUNFO DOS ARRIVISTAS E SEUS TROFÉUS

Novo-riquismo é uma ideologia que se caracteriza pelo ódio a tudo quanto seja antigo. Árvores e casas são os alvos preferidos dos seus seguidores e «abate» e «demolição» as suas palavras-de-ordem. Instalados que estão no poder há décadas em Portugal, basta darmos uma volta pelo nosso País para podermos ver o resultado dos seus ataques terroristas: pauzitos ridículos e caixas desumanizadas substituíram árvores centenárias e casas históricas.

ANTIGUIDADE E AMIZADE

Antiguidade é uma peça interessante com mais de 100 anos. Amigo antigo é uma pessoa importante nas nossas vidas há mais de 20 anos. Não confundir com velharias nem com velhos amigos.

AINDA A CRIAÇÃO ARTÍSTICA

Os portugueses têm na sua matriz genética a raríssima capacidade de reinterpretar infinitamente temas das suas ancestrais raízes lusíadas, captando-lhes o espírito e dando-lhes renovados sentidos.

DA CRIAÇÃO ARTÍSTICA

A obra de um autor pode e deve ser composta totalmente por infinitas variações sobre um só tema.

DAS ÁRVORES E DAS PÁTRIAS

As Árvores e as Pátrias querem-se antigas e grandes.

DA ESPIRITUALIDADE REALISTA

Muitos continuam a procurar a felicidade numa caldeirada New Age. E o Catolicismo — este sim Universal — aqui tão perto.

COM OS PÉS BEM ASSENTES NA TERRA

Não nos iludamos com os Direitos do Homem, cumpramos sim os Deveres do Homem.

DA ELIPSE

A omissão enquanto figura de estilo é a mais mágica forma de edição porquanto leva quem lê a construir uma ponte imaginária entre os dois pontos que vê e a decifrar assim a invisível zona intermédia onde se encontra a síntese do pleno significado da mensagem.

ESPÍRITO VERSUS MATÉRIA

Para escapar a estes tempos de merda, mergulhemos de corpo e alma na Idade Média.

AS TRÊS FASES DA VIDA DUM TRADICIONALISTA

Primeiro, começamos por ser conhecidos por sermos filhos de quem somos; depois, passamos a ser conhecidos por sermos simplesmente quem somos; e, finalmente, acabamos a ser conhecidos por sermos pais de quem somos.
Percorridas as três etapas, teremos a recompensa da missão cumprida.

TRADIÇÃO E VANGUARDA

Tradicionalista é o que constrói o futuro com o passado bem estudado.

DO SENTIDO DA VIDA

Vale mais servir os princípios pelos exemplos do que por longos testamentos.

PARA QUE SERVEM OS PRINCÍPIOS?

Servem para os servirmos.

DO ETERNO RETORNO

Andarmos em círculos propicia podermos descobrir numa volta algo que nos tenha escapado nas passagens anteriores.

ENQUANTO AINDA PODEM

A mais maliciosa estratégia dos maus não consiste em dizer mal das coisas boas feitas por gente de bem, mas sim em votá-las ao silêncio.

DA TRADIÇÃO

Quando a cadeia de transmissão se interrompe é muito difícil restabelecê-la, mas a sua força sairá redobrada depois de religada.

TRISTE SINA DOS TEMPOS MODERNOS

A ignorância e a arrogância unidas jamais serão vencidas.

PENSAR E ACTUAR

O pensamento sem acção é impotente e a acção sem pensamento é estéril.

AVISO AOS RAPAZES POR CAUSA DOS LIVROS E DAS MULHERES

Há livros para lermos, outros para coleccionarmos, outros ainda para nos fazerem companhia e até alguns só para mostrarmos. Para a vida há só um, e não vale a pena procurá-lo — ele há-de aparecer. Em relação às mulheres, passa-se exactamente o mesmo.

TRADIÇÃO E FUTURO DA EUROPA

A Europa criou uma identidade própria, assente em três edifícios superiores: a filosofia grega, o direito romano e a teologia cristã. Saibam hoje as nações europeias estar de novo à altura desta herança para a poderem transmitir no futuro.

DESGRAÇAS MODERNAS

A «cultura urbana» é ditada por gente provinciana.

SINAL DO TEMPO

Quanto maior é a crise, mais desavergonhados andam os vendilhões do Templo.

DA ESTÉTICA DO CINEMA

Há poética no Cinema quando o espectador consegue ouvir as imagens e ver os sons.

TELEVISÃO — UMA SÓ SOLUÇÃO

Não podendo mudá-la, há que desligá-la.

SEPARAR O TRIGO DO JOIO

Saber ver o que permanece no meio do que acontece.

É CERTINHO

Quem muito muda, pouco acerta.

DICIONÁRIO DE SINÓNIMOS

Louco — nome pelo qual a sociedade designa um indivíduo lúcido.
Pessimista — nome pelo qual a sociedade designa uma pessoa realista.

IRMÃS INSEPARÁVEIS III

História e Memória.

IRMÃS INSEPARÁVEIS II

Estética e Ética.

IRMÃS INSEPARÁVEIS I

Filosofia e Poesia.

MUNDO MODERNO

Muita tecnologia, pouca sabedoria.

PARA SNOB, SENHOR DE PALMO-E-MEIO

— O menino é filho de quem?
— Do Pai e da Mãe.

OS «INTELECTUAIS»

Dedicam-se às ideias, mas esquecem-se das pessoas. Consta que o Inferno está cheio deles.

SÁBIA VISÃO POLÍTICA

Ver o velho mundo com um novo olhar é tão importante como ver o novo mundo com um velho olhar.

É CERTO E SABIDO E SALTA À VISTA

Os recém-convertidos têm sempre um entusiasmo exagerado e descontrolado pelas ideias às quais recentemente aderiram.

AINDA E SEMPRE O PORTUGAL DOS PEQUENINOS

Os portuguesinhos nunca estão bem nem mal, estão sempre «mais ou menos». Essa sua mediania rima com merdiania.

AINDA O PORTUGAL DOS PEQUENINOS

Os portuguesinhos são todos salamaleques pela frente e mal-criados pelas costas. Por essas e por outras, não passam da cepa torta.

PORTUGAL DOS PEQUENINOS

Os portuguesinhos chegam permanentemente atrasados, mas trazem sempre as últimas novidades. Assim não vão longe.

OS BETOS

Os betos são dejectos das famílias históricas ou projectos dos novos-ricos.

DA ALQUIMIA

Uma gota separa o perfume do veneno. Uma palavra separa o bem do mal.

EUFEMISMOS PÓS-MODERNOS

Os mal-educados são agora referidos como «distraídos».

REFAZENDO PROVÉRBIOS AO SERÃO

Em casa onde não há Platão, todos opinam e ninguém tem razão.

AVISO AOS RAPAZES POR CAUSA DAS RAPARIGAS

As mulheres é que escolhem os homens, embora deixem nos homens a sensação de que foram eles a conquistá-las. E nem precisam de ser bonitas, inteligentes e cultas para que assim aconteça. É a vida. Habituem-se.

MISTÉRIOS FEMININOS

Todas as mulheres inteligentes são bonitas mas nem todas as mulheres bonitas são inteligentes.

DESMONTANDO E REMONTANDO SINÓNIMOS

A frivolidade é uma arma das mulheres inteligentes. A futilidade é uma sina das mulheres indigentes.

AINDA E SEMPRE A PERMANÊNCIA DOS CLÁSSICOS

Cultura greco-romana e espiritualidade católico-romana.

DAS AFINIDADES PERIPATÉTICAS

De todas as actividades físicas, o passeio a pé é a mais espiritual.

AVISO AOS NOVOS POR CAUSA DOS PASSOS PERDIDOS

Num só passo se passa de estóico a estróina. Já o caminho de regresso terá de ser feito em marcha forçada.

CRENTES E CRÉDULOS

Uns acreditam em Algo, os outros começam por não acreditar em nada e acabam a acreditar em tudo. Os primeiros têm Fé e os segundos têm fezadas. 

REFLEXÃO ETIMOLÓGICA

Compreendo perfeitamente que se diga que a televisão é um escape; de facto, também ela polui a atmosfera.

DESLUMBRAMENTOS

O possidónio adora o estrangeiro. Quando interrogado sobre as suas viagens, fala logo da qualidade dos hotéis. No seu caso, são todos iguais e raramente de lá sai.

SOIGNE TA GAUCHE!

Desde que anunciaram que somos todos iguais, ando sempre na rua muito atento para ver se descubro os meus irmãos gémeos.

GENTE COERENTE (3)

Desejavam o paraíso proletário na terra, agora desejam destinos turísticos paradisíacos.

GENTE COERENTE (2)

Foram colectivistas, agora são consumistas.

GENTE COERENTE (1)

Fizeram o culto das massas, agora fazem o culto da massa.

O ESPECTÁCULO DA SOCIEDADE

Existem «poliglotas» que não falam várias línguas; falam — olaré se falam! — uma mistura requentada (armada em requintada) com restos de várias línguas.

DA PERMANÊNCIA DAS IDEIAS

Um aforismo datado é um aforismo enterrado.

IN VINO VERITAS

Os vinhos são como os indivíduos: a idade distingue os bons dos que não prestam — os primeiros, amadurecem; os segundos, azedam.

CONTAS DE CABEÇA

Troco — e nem lhes toco — dez mulheres feministas por uma mulher feminina.

AFORISMO NOCTURNO

Antes brancas no cabelo do que na cabeça.

DA ALMA

Difícil é ter espírito para saber respirar o ar dos tempos sem vender a alma ao indizível. 

DOS AFORISMOS

Aforismos são frases curtas de longo alcance.